quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

A importância do contexto


A língua humana precisa de contexto para que o interlocutor* compreenda a mensagem de um locutor** da maneira em que este deseja ser compreendido. Ou seja, se o locutor diz "manga" (de camisa), o interlocutor deve entender "manga" (de camisa) e não "manga" (fruta).

Aliás, quando escrevi "(de camisa)" e "(fruta)", ofereci contexto. Num bate-papo cara a cara (texto oral), o contexto pode ser o dedo indicador apontando para um objeto ou alguém mostrando o objeto seguido de uma pergunta ou um olhar e assim vai. Num texto escrito, o desafio é fornecer todos os elementos de contexto de maneira concisa e que o interlocutor compreenda. Às vezes, nos irritamos quando alguém não entende o que dizemos ou escrevemos, mas não devemos nos irritar; na verdade, devemos escrever de outra forma: usar sinônimos, trocar a ordem das frases; se tiver tempo, pedir a alguém para ler o seu texto.

Como tradutor, uma simples lista de itens aleatórios se torna uma tarefa bem árdua. A falta de um contexto me deixa com muito mais dúvidas comparado a um texto completo, devidamente contextualizado. Ter dúvidas significa mais perda de tempo em pesquisa, alterações do que já traduzi, inclusive abre espaço para imaginar o que poderia ser e que nem sempre é.

Pois bem, em ficção a imaginação tem papel fundamental, e nem preciso explicar porquê. Já no mundo real, a imaginação engendrada pela falta de um contexto é bastante perigosa.

A língua precisa de um contexto, mas…


Nas redes sociais, ficou normal descontextualizar informações do mundo real. E, pior que isso, ficou normal recontextualizar uma fala ou pensamento: o efeito disso é a deturpação do sentido do que foi dito.

É normal entender errado o que nos foi dito. Também é normal não entender e pedir uma nova explicação. Estranho é deliberadamente extrair um trecho de seu contexto e lhe dar novo significado, geralmente, deturpando o que o locutor disse. Não sei o que motiva uma pessoa ou um grupo a mudar o sentido de uma fala, pensamento, ideia ou conteúdo. O que sei é que isso é desinformar, enganar.

Por isso, se sua índole é boa, pergunte-se sempre qual é o contexto antes de compartilhar. Desconfie dos trechos, fora de contexto não significam nada; pior, desinformam e enganam. Se sua índole é boa, veja ou leia o conteúdo inteiro de onde o trecho foi retirado e informe as outras pessoas se houve deturpação do conteúdo inteiro.

* é aquele ou aquela que ouve, lê, etc., uma mensagem emitida pelo locutor.
** é aquele ou aquela que fala, escreve, etc., uma mensagem para o interlocutor.